Aliados de Doria ampliam a pressão sobre Alckmin

Sonia Racy

08 Março 2018 | 01h00

GERALDO ALCKMIN E JOÃO DORIA

GERALDO ALCKMIN E JOÃO DORIA. FOTO: CHRISTINA RUFATO/ESTADÃO

Depois que três secretários próximos a Alckmin votaram contra os interesses de Doria na reunião sobre prévias realizada na segunda- feira no PSDB paulista, aliados do prefeito ampliaram a pressão sobre o Bandeirantes. Depois desse resultado, argumentam, “cabe ao grupo ligado ao governador fazer um gesto para unir o partido”.

Para o prefeito de São Bernardo, Orlando Morando, “o grupo do Doria entende que “o governador tem habilidade para evitar um embate no qual ele (Alckmin) seria o único prejudicado”.

Circulou ontem, no WhatsApp dos secretários da Prefeitura, a mensagem: “Entramos no período de aviso prévio”. Doria tem que decidir seu destino até dia 6 de abril.

E Bruno Covas, segundo os mesmos, entrou em seu “inferno astral”. O vice do prefeito faz anos… dia 7.

Leia mais notas da coluna:

Empresas que voam entre Brasil e EUA estão livres para definir rotas

Itamaraty prorroga afastamento de embaixador acusado de assédio