Além do feltro

Além do feltro

Sonia Racy

31 Maio 2015 | 01h16

Felipe Mojave e Neymar (Foto: Arquivo Pessoal)

Felipe Mojave queria ser craque de futebol. Mas o destino o transformou em jogador profissional de pôquer. Antenado, percebeu que seu talento poderia levá-lo além das fichas. Acabou se tornando coach de muitas celebridades. Seus clientes vão desde Neymar (foto) a Ronaldo Fenômeno, passando por duplas sertanejas e chegando a diretores de grandes empresas.

O paulista de São Bernardo do Campo mostra a seus alunos como aplicar as regras do pôquer na vida profissional. “Aos 14 anos dava aula de música, sempre gostei de ensinar”, afirma o moço, que atualmente divide sua rotina entre os alunos famosos, palestras em grandes multinacionais do País, e, claro, as partidas de pôquer. A maior lição que o jogo dá para a vida real? “Aprendemos a avaliar os oponentes. Não ficamos apenas jogando na mesa as cartas que recebemos.”