Direito de mandar

Sonia Racy

26 Abril 2017 | 00h45

Não são poucos os senadores para os quais “não é de todo mau” o projeto de Roberto Requião sobre abuso de autoridade que será votado hoje em comissão do Senado. O que atrapalha, dizem alguns, são dois artigos – um que permite criminalizar o juiz quando sua decisão é derrubada em instância superior e outro que autoriza um cidadão a processar juiz. Ao que se sabe, Requião não pretende retirá-los.

Dos 27 votos na comissão, a conta é que votam a favor PMDB e PT, mas PSDB, PSD e PSB estão divididos.

Cláusula estranha

Gente do mercado financeiro estranhou um ponto da decisão do juiz Vallisney Oliveira, que autorizou os mandados de busca e apreensão da Operação Conclave, que investiga a compra do banco Panamericano pela Caixapar. É o que trata de uma cláusula, ilegal, segundo despacho de Oliveira, que “condicionava o pagamento dos serviços de assessoria ao banco Fator à conclusão da negociação com o Banco Panamericano”.

Cláusula 2

Esse tipo de cláusula, segundo profissionais do mercado, é praxe em negociações do tipo. Questionável, dizem, seria o contrário: algum intermediário receber comissão sem a conclusão do negócio. Em 2009, a Caixa fechou um contrato de prestação de serviços com o Fator com o objetivo de auxiliá-la na avaliação da instituição financeira.

Dou-lhe uma…

Foi a equipe do Santander que assessorou, ontem, a Arteris, que levou a concessão da Rodovia dos Calçados, com lance de R$ 1,2 bilhão. Na véspera, o mesmo grupo estava na parceria com a Alupar, que arrematou um lote de R$ 900 milhões para interligar sistemas elétricos entre São Paulo e Rio.

McCartney in town

Além de Porto Alegre e Salvador, Paul McCartney decidiu incluir São Paulo em seu roteiro por aqui em outubro. O ex- beatle vai comemorar os 50 anos do disco “Sargent Pepper Lonely Hearts Club Band” em show no Allianz Parque.

Meio aliado

Pela segunda vez, o líder do PSB na Câmara paulistana, Camilo Cristófaro, ameaçou, ontem, tirar o partido da base de Dória, tornando-o independente. Sua queixa: a gestão municipal “não cumpre acordos”.