1. Usuário
Assine o Estadão
assine
31 de outubro de 2010
  • Marina Lima, que trocou o Rio por São Paulo,fala do novo CD e faz um balanço da sua trajetória



    Eleitora de Dilma porque gosta de Lula, Marina Lima não descarta votar em Serra no futuro. "Agora conheço São Paulo." A cantora se considera hoje uma quase paulistana. Mudou-se para São Paulo depois de 50 anos no Rio, onde nasceu. Ainda não conhece os caminhos da capital paulista. Ao procurar o principal parque da cidade acabou sendo levada pelo GPS na direção de um outro Ibirapuera. Mais precisamente, o de Barretos, mas quando viu o pedágio se deu conta e voltou. O GPS da cantora hoje se volta para a orientação interna. Superou as turmas, os bandos, que a incomodavam no Rio, e se ocupa de temas essenciais como cabala, cultura e, claro, música.

    Revela algo sobre sua carreira que nunca disse antes. Para se livrar do carma de ter que seguir o figurino das estrelas que vieram antes dela, como Gal Costa e Bethânia, Marina teve que "quebrar o lápis" e se reconstruir, depois de um período de depressão. "Precisei parar de alguma maneira para achar o direito de ser eu". Produtiva, está à beira de lançar CD, DVD e show do novo trabalho chamado, não à toa, de Clímax. O anterior foi Lá Nos Primórdios, feito há quatro anos.

    Instalada em Higienópolis há pouco mais de um mês, compara seu apartamento a uma casa de campo, acaba de compor uma canção chamada #SPFeelings e diz que vê ondas em São Paulo: "Essa cidade me faz ver o mar." A cantora, que controla a alimentação há 20 anos, tenta resistir às delícias epicuristas da megalópole, mas foi flagrada recentemente no restaurante Vicapota, dividindo pizzas com amigos no domingo à noite, já como uma verdadeira paulistana.

    Quando você tomou essa decisão de mudar para SP?

    Venho ensaiando esse movimento desde 98. Minha mãe faleceu e pensei "não tem mais nada que me prenda no Rio, agora quero passar os próximos cinquenta anos em São Paulo". O Tom Jobim foi para Nova York, eu sou mais simples, vim para São Paulo (risos). Para mim, São Paulo é a Nova York do Brasil.

    Você se sente mais anônima em São Paulo?

    Me sinto mais do meu tamanho, mais inteira. Abriu um leque de opções. O Rio é a cidade onde nasci, linda, mas parece um grande balneário. Aqui não tem praia, mas tem muita cultura, então compensa. A praia de SP é o Ibirapuera, é o Central Park daqui.

    Cansou de praia?

    Não gosto muito de praia, eu gosto de mar. Parei de ir porque é realmente chato. Eu sou conhecida, todo mundo te vê de biquíni. Para ir à praia eu vou fora do Rio, o que me faz falta é ver o mar. Mas São Paulo me faz ver o mar, às vezes. Com as ondas todas que as pessoas trazem é quase um mar pra mim.

    E por que você escolheu Higienópolis para morar?

    Primeiro, porque tenho vários amigos que moram lá. Faço cabala, Higienópolis é um bairro que tem muitos judeus, já simpatizo. As construções são maiores. Brinco com os meus amigos que encontrei uma casa no campo em São Paulo, árvores lindas, uma vegetação tropical.

    Você não acha ruim estar numa cidade em que parece que a maioria está deprimida?

    Geeeente, eu não estou percebendo isso ainda. Onde moro, as pessoas estão com muita pressa, mas gosto, parece aquelas fotos de Tóquio, é cidade grande. Mas não quero parecer que sou uma idiota, acabei de chegar.

    E o lado ruim, a sensação de perda de referências?

    Bom, teve o dia em que coloquei o GPS para Ibirapuera e não olhei direito, de repente, tinha um "Ibirapuera" em Barretos, fui seguindo e comecei a ver pedágio. Me perdi muito, entendeu? Fiquei com muito medo, quase chorei, vi a fragilidade em que estava por não conhecer a cidade.

    Já está gostando de padaria?

    Gosto de padaria já, por isso evito ir. Pratico restrição alimentar há mais de 20 anos. Vou tentar manter a disciplina, vamos ver.

    A era das grandes estrelas Bethânia, Gal Costa, Rita Lee, Marisa Monte está de fato no fim? Todas estão muito mais low-profile, não acha?

    A indústria da música toda teve um low-profile, aconteceu uma série de mudanças, gravadoras faliram, loja de disco praticamente acabou. É natural que as pessoas que fazem parte dessa história também mudem. Agora como isso afetou cada uma pessoalmente, eu não sei dizer. Comecei a pegar uma tangente disso antes, na época do disco Abrigo, em 1995.

    Como assim?

    Ninguém nunca me perguntou isso. É tããão profundo. Aquela época importante da minha vida o único caminho que tinha era seguir Bethânia, Gal, você citou essa linhagem, não foi à toa. A minha estrada era diferente. Precisei parar de alguma maneira para achar o direito de ser eu. Achei que não valia a pena sacrificar todo um outro plano maior que eu tinha para Marina Lima. Foi essa a quebrada de lápis. Fui para outro caminho, só que ele não foi muito claro no começo, foi complicado e tal, até que agora existe e eu posso existir

    O que você acha de Mart'nália, Maria Rita, Pitty? Elas conseguem a mesma adesão de público do que Gal Costa, Bethânia, Rita Lee conseguiam?

    A mesma não pode ser porque o público mudou, o mundo mudou, mas elas estão super estouradas. É uma juventude que enche casas de shows. Se eles são diferentes qualitativamente eu não sei. Agora cantora grande demora a aparecer.

    O que você acha da Lady Gaga?

    A Lady Gaga é uma grande mulher. Quase que uma instalação dos desejos mais loucos de todo mundo, representa um monte de gente diferente, todo mundo se vê nela. É a bruxa que todo mundo ama. Ela não é dos gays ou dos yuppies, ela é de milhões e milhões de pessoas, de diferentes facções, todas progressistas, nada careta.

    E o trabalho novo?

    Eu criei um repertório inédito. Chama-se Clímax. Vai sair em CD, DVD e show provavelmente no início do ano que vem. A maioria das músicas é nova. Tem pop, bossa, samba, um rock chamado Lex, que eu amo. É mais aventureiro. Não é um CD cabeça, é para levar as pessoas, para ninguém resistir.

    E o ar de SP já entrou nesse novo CD? Dá pra cantar SP?

    Compus uma música, quando resolvi onde ia ficar. Comecei a compor no Rio e terminei em São Paulo há duas semanas. Chama-se #SPFeelings.

    Em quem você votou?

    Votei na Dilma, em prol do que eu sinto pelo Lula. Agora, não é nada contra o Serra, morando em São Paulo posso até votar nele no futuro.

    Como vê a forma que o aborto foi tratado nas campanhas?

    Acho loucura o Brasil, a religião tem um espaço tão grande, é coisa de país subdesenvolvido. Fico com vergonha.

    Está procurando um amor?

    Aberta eu acho que estou. Quero bancar essa minha vontade de ter alegria de viver aqui. Estou com high expectations. Isso inclui o amor, bem estar, amigos, discussões intelectuais, debates.

    Você acha que São Paulo é uma cidade mais monogâmica do que o Rio de Janeiro?

    Ao contrário, (risos) no momento a sensação que eu tenho é exatamente oposta.

    E a depressão?

    Passou, é uma gavetinha, às vezes, vou lá dou uma olhadinha. Tive que passar por isso, entender, para estar como estou hoje. Se tivesse seguido aquele caminho que não é o meu e ser mais uma pseudocantora daquela linhagem, talvez estivesse com depressão até hoje. Romper foi uma coisa muito forte que me deu uma certa fraqueza, mas agora recuperei tudo. Minha mãe morreu faz pouco tempo, mas vinha doente e eu estava me despedindo dela há muito tempo. Foi na hora que teve que ir e sei que ela está me protegendo de algum lugar. Isso não é tristeza, é saudade, eu me sinto protegida.

    Para terminar, topa fazer um teste de paulistanidade?

    Como é o teste?

    PB: Como chama lanterneiro em São Paulo?

    ML: De oficina? Não é lanterneiro.... como é?

    PB: Funileiro.

    ML: Funileiro? De funil, aquele negócio que afina? (risos)

    PB: Como chama bombeiro aqui, que presta serviços hidráulicos em residências?

    ML: Isso eu não sei.

    PB: Chama encanador.

    ML: Encanadoooor ? No Rio é tudo bombeiro.

    PB: E biscoito?

    ML: Biscoito, gente o que acontece são outras palavras ... bolacha? Mas bolacha é salgada. Por enquanto eu não precisei nem de lanterneiro, nem de bombeiro, nem de funileiro.

    PB: O que é cara aqui?

    ML: Meu.

    PAULA BONELLI
  • Sem estresse?

    Dilma foi convencida por Lula. Segundo se apurou junto a empresário próximo do ainda presidente, se a candidata sair vencedora do pleito hoje, ela vai se esforçar para tentar manter intacta a área econômica do governo. Com Guido Mantega na Fazenda, Paulo Bernardo no Planejamento e Henrique Meirelles no Banco Central.

    Pelo menos nos primeiros seis meses, evitando qualquer marola que possa ter impacto negativo no País.

    Pesquisa in loco

    Protógenes Queiroz, uma das pessoas ouvidas por Zé Padilha para fazer Tropa de Elite 2, ainda não encarou a fila para assistir ao filme.

    Chegaram a jantar juntos no ano passado, quando o diretor quis saber sobre corrupção na estrutura do Estado e detalhes da prisão de Hildebrando Pascoal no Acre, coordenada por Protógenes à época.

    Rindo à toa

    Após muita polêmica, Deuzeni Goldman está satisfeita. Pesquisa do Ibope mostra que a revitalização do Parque da Água Branca está aprovada por 88% dos frequentadores.

    Um dos itens que mais pesou foi a decisão de manter o parque aberto até às 22h.

    Pense bem

    O imbróglio "direito do contribuinte" versus "quebra do tesouro nacional" é tão recorrente nos tribunais que a Escola de Direito da FGV resolveu incrementar: lança concurso com prêmio de R$ 150 mil.

    Pagará a bolada a quem escrever a melhor monografia sobre o tema.





    Filho e neto de diplomatas, Pedro Corrêa do Lago cresceu no ambiente das artes. Frequentou museus, concertos, bibliotecas... Na hora de escolher a faculdade, cravou no curso de economia. Mesmo formado, não chegou a exercer a profissão. Sua vocação estava mesmo no mundo da cultura. Virou, entre outras coisas, autor, dono de livraria e de editora. Em 2000, foi convidado por Olavo Setubal para formar a Brasiliana Itaú - coleção com mais de 5 mil peças ligadas à história do Brasil. Parte do acervo está atualmente em exposição no Rio, depois de passar por SP e BH. "Fico orgulhoso ao saber que mais de 100 mil pessoas já viram a mostra", revela o colecionador.





    Responsabilidade social

    Beatrizinha Monteiro de Carvalho, Lucinha Vidigal e Fafá Gonçalves organizam bazar do Projeto Borboleta, Dia 10, na Rua Antilhas. Em prol da AACD. E Roberto Justus, Claudia Leitte e Isabella Fiorentino assinam o livro Receitas dos Artistas, lançado pela Villa Jequiti. Também em benefício da instituição.

    A Ultragaz Cultural - uma carreta de cinema itinerante- está programada para percorrer 12 cidades. Começa por Sorocaba. Quinta.

    Acaba de ser reinaugurada, a Escola-Comunidade Merck, no Rio. Para atender alunos com necessidades especiais.

    Começa a temporada de jantares de gala beneficentes. Do Instituto Ronald McDonald, quarta, no Buffet Torres, para o tratamento de vítimas do câncer infanto-juvenil. E na sexta, no Hyatt, será a vez da Make a Wish, que realiza o sonho de crianças doentes.

    O Bazar do Bem Possível, com participação do Lar Escola São Francisco, acontece quinta. No Clube Pinheiros.

    A Semana Global do Empreendedorismo abre dia 11, no Centro Cultural Waly Salomão. Em Vigário Geral, Rio.

    Está decidido. A primeira apresentação da série Concertos Natura Musical será sábado, na Sala São Paulo. De graça.

    A AHPAS completou 10 anos. E promove almoço para angariar recursos, no Espaço Villa Noah. Dia7.

    O Espírito Santo Investment Bank avisa. Apoia o Grande Leilão de Arte Contemporânea Beneficente. No Mube, a partir de quinta.


    Detalhes nem tão pequenos...


    1. "Vem chegando o verão, um calor no coração..."

    2. Roda de estrelas em noite de premiação na Via Funchal.

    3. Pixinguinha e Otavio Sousa classificaram bem a rosa: "Divina e graciosa, estátua majestosa..."

    4. Não era a Capitu de Machado de Assis na festa da Micasa. Mas, sim, outra dona de olhos de ressaca.

    5. Exagero? Que nada, o estilista Amir Slama merece.

    6.Homenagem à primavera na mostra de cinema de SP.

    7.Oncinha, sim. Mas ecológica.

30 de outubro de 2010
  • Sem estresse?

    Sonia Racy

    Dilma foi convencida por Lula. Segundo se apurou junto a empresário próximo do ainda presidente, se a candidata sair vencedora do pleito hoje, ela vai se esforçar para tentar manter intacta a área econômica do governo. Com Guido Mantega na Fazenda, Paulo Bernardo no Planejamento e Henrique Meirelles no Banco Central.

    Pelo menos nos primeiros seis meses, evitando qualquer marola que possa ter impacto negativo no País.
  • Protógenes Queiroz, uma das pessoas ouvidas por Zé Padilha para fazer Tropa de Elite 2, ainda não encarou a fila para assistir ao filme.

    Chegaram a jantar juntos no ano passado, quando o diretor quis saber sobre corrupção na estrutura do Estado e detalhes da prisão de Hildebrando Pascoal no Acre, coordenada por Protógenes à época.
  • Rindo à toa

    Sonia Racy

    Após muita polêmica, Deuzeni Goldman está satisfeita. Pesquisa do Ibope mostra que a revitalização do Parque da Água Branca está aprovada por 88% dos frequentadores.

    Um dos itens que mais pesou foi a decisão de manter o parque aberto até às 22h.
  • Pense bem

    Sonia Racy

    O imbróglio "direito do contribuinte" versus "quebra do tesouro nacional" é tão recorrente nos tribunais que a Escola de Direito da FGV resolveu incrementar: lança concurso com prêmio de R$ 150 mil.

    Pagará a bolada a quem escrever a melhor monografia sobre o tema.
  • Beatrizinha Monteiro de Carvalho, Lucinha Vidigal e Fafá Gonçalves organizam bazar do Projeto Borboleta, Dia 10, na Rua Antilhas. Em prol da AACD. E Roberto Justus, Claudia Leitte e Isabella Fiorentino assinam o livro Receitas dos Artistas, lançado pela Villa Jequiti. Também em benefício da instituição.

    A Ultragaz Cultural - uma carreta de cinema itinerante- está programada para percorrer 12 cidades. Começa por Sorocaba. Quinta.

    Acaba de ser reinaugurada, a Escola-Comunidade Merck, no Rio. Para atender alunos com necessidades especiais.

    Começa a temporada de jantares de gala beneficentes. Do Instituto Ronald McDonald, quarta, no Buffet Torres, para o tratamento de vítimas do câncer infanto-juvenil. E na sexta, no Hyatt, será a vez da Make a Wish, que realiza o sonho de crianças doentes.

    O Bazar do Bem Possível, com participação do Lar Escola São Francisco, acontece quinta. No Clube Pinheiros.

    A Semana Global do Empreendedorismo abre dia 11, no Centro Cultural Waly Salomão. Em Vigário Geral, Rio.

    Está decidido. A primeira apresentação da série Concertos Natura Musical será sábado, na Sala São Paulo. De graça.

    A AHPAS completou 10 anos. E promove almoço para angariar recursos, no Espaço Villa Noah. Dia7.

    O Espírito Santo Investment Bank avisa. Apoia o Grande Leilão de Arte Contemporânea Beneficente. No Mube, a partir de quinta.
  • Constatações

    O Instituto de Pesquisas Análise, de Alberto Almeida, concluiu ontem, na hora do almoço, a sua penúltima enquete telefônica.

    Algumas curiosidades da sondagem. O efeito do feriado nas eleições será baixinho, baixinho. Somente 2% das abstenções previstas devem ser resultantes do Dia de Finados.

    Constatações 2

    Ainda desta enquete, constata-se que dos entrevistados pertencentes ao grupo dos que acham o governo Lula bom ou ótimo, 65% votam em Dilma. Os outros, surpresa, votam em Serra. Por outro lado, entre os que dão nota regular a este governo, 35% vota na candidata.

    E mais: 5% dos que classificaram o governo Lula como péssimo ainda optam por Dilma.

    Sábio

    Robson Andrade, novo dirigente da CNI - tomou posse ontem, sem alarde -, aguarda os resultados das eleições para definir quais institutos de pesquisa continuarão a trabalhar para a confederação.

    Dois pesos

    O time de campanha de Serra não está assim feliz com a atuação política de Aécio em Minas. No entanto, na outra mão, reconhece seus esforços na arrecadação de recursos.

    Substancial

    Aliás, contas feitas, somou-se até ontem 103 empresas que contribuíram para a campanha do tucano no 2º turno. Algo como 50% a mais que no 1ª.

    Consenso

    Foi baixada uma regra ontem na caminhada final de apoio a Serra, no centro de SP, com FHC, Goldman, Geraldo Alckmin e Kassab: desconsiderar as pesquisas.

    Prancheta

    Corre de mão em mão na comunidade de Paraisópolis um abaixo assinado para garantir a construção do monotrilho na região. Esperam conseguir, pelo menos, 1 milhão de adesões favoráveis à obra.

    Sonho

    Policiais militares saem em comboio hoje para Ribeirão Pires, SP. Vão se esbaldar na festa de casamento de Rafael Telhada, tenente da PM e filho de Paulo Telhada, comandante da Rota, que sofreu atentado em julho.

    Com direito a bufê em formato de castelo e carruagem para trazer os noivos.


    Boleira

    Entre tantas opções, Cherie Blair escolheu para visitar em SP o Estádio do Morumbi. A mulher do ex-premiê britânico é fanática pelo Liverpool e quis ver os troféus do time que desbancou o seu, em 2005, no Mundial Interclubes.

    Carimbo

    Neymar baixou ontem no posto da Polícia Federal de Santos. Nada grave. Convocado por Mano Menezes, foi tirar visto para o Qatar, onde joga pela seleção, dia 17, contra a Argentina.

    Do bem

    Convidado de Luziah Hennessy, organizadora de noite em prol do Instituto Guga Kuerten, Gilberto Gil faz show privê, dia 29, na Pinacoteca.

    Na ocasião, serão leiloados vários itens. Entre eles, um diamante da Wine Collection, uma semana em resort de esqui no Colorado, hospedagem e passeios pela Sicília e vestidos de Emanuelle Junqueira.

    Rir é bom

    Abre sua porta a primeira casa stand-up comedy de SP. Sob batuta de Rafinha Bastos e Danilo Gentili. Amanhã, com Paulo Serra.


    Na frente

    Lula ficou contente com Rosa Passos no seu niver, quarta. A cantora, mulher de Paulo Passos, dos Transportes, raramente aparece em Brasília.

    José Goldemberg recebeu na Índia o prêmio Trieste Science Prize. Pelos seus trabalhos sobre biomassa.

    O Grand National estreia hoje no calendário do hipismo. No Helvetia Riding Center.

    Arthur Caliman inaugura hoje espaço teen em sua loja na Vila Nova Conceição.

    Claudio Manoel e Marcelo Tas participam de debate no lançamento do livro Bussunda - A Vida do Casseta, de Guilherme Fiuza. Sexta, na Livraria da Vila dos Jardins.

    Kiko Salomão e Sylvio Barros ousam. Lançam Arkpad, catálogo online do mercado da arquitetura e decoração.

    Correção: as áreas em que a OGX, de Eike Batista, atua não se encontram no pré-sal.

    A Tal da Pizza, da Granja Vianna, privilegia hoje quem ficou em SP para votar. Com um desconto de 20%.

    Garotas criaram um grupo no Facebook chamado "Gostosas por Dilma". Elas usam acessórios que remetem ao PT.




    Colaboração
    Débora Bergamasco debora.bergamasco@grupoestado.com.br
    Gilberto de Almeida gilberto.almeida@grupoestado.com.br
    Marilia Neustein marilia.neustein@grupoestado.com.br
    Paula Bonelli paula.bonelli@grupoestado.com.br

29 de outubro de 2010
  • Polaroid

    Sonia Racy



    Será assim, de jeans e camiseta, que Os Democlássicos tocarão música erudita na balada. Terça,no Studio SP. Foto: Leonardo Aversa
  • Constatações

    Sonia Racy

    O Instituto de Pesquisas Análise, de Alberto Almeida, concluiu ontem, na hora do almoço, a sua penúltima enquete telefônica.

    Algumas curiosidades da sondagem. O efeito do feriado nas eleições será baixinho, baixinho. Somente 2% das abstenções previstas devem ser resultantes do Dia de Finados.