Tapumes de Paulo von Poser em obra misteriosa

Estadão

30 Janeiro 2012 | 22h24

Uma obra de arte enfeita os tapumes de madeira de uma misteriosa obra na esquina das ruas Oscar Freire e Consolação, nos Jardins, desde o dia 14 de janeiro. Ainda incompleta, a figura será concluída ao longo desta semana pelo artista plástico Paulo von Poser, que encerrou ontem a exposição Trajetória no Museu Brasileiro da Escultura (MuBE).

Von Poser quis reproduzir a paisagem das ruas dos Jardins, assim como as pessoas que passam por ali. “Transformei o tapume em um espelho”, conta. Além de humanos, não faltam rosas: elas estão presentes nos 30 anos de carreira do paulistano. Para retratar o bairro, o artista usa giz crayon colorido, base acrílica e grafite – não o dos grafiteiros, mas grafite em barra.

Embora seja a primeira vez que pinta um tapume,  o artista já havia trabalhado na rua antes. Durante a abertura da exposição Rosas na galeria Mônica Filgueiras, em 2002, pintou um muro na Ministro Rocha Azevedo. Ele também é responsável pelos painéis de azulejos que, desde 2007, decoram as bancas de flores na Avenida Doutor Arnaldo.

O fim da construção escondida pelo tapume está previsto para a próxima semana. Depois desse tempo, Paulo von Poser não sabe qual o destino de sua obra. “Adoraria guardar tudo para mim, mas não posso”, confessa. O artista diz não sentir medo de ataques de pichadores ao tapume, como costuma acontecer ao redor de reformas na capital. “Trabalhar na rua é deixar sua arte à disposição de qualquer coisa”.

Pode-se dizer que o projeto é familiar: o planejamento arquitetônico foi feito pela empresa Cenário Brasil, que pertence a Beto von Poser, irmão do artista. Por mais que não revele o nome da loja que será inaugurada na semana que vem (os vizinhos estão dizendo que o local abrigará um showroom da marca Natura), a empresa Banco de Eventos, encarregada da contratação de Paulo von Poser, garante que o tapume não será descartado após o fim da reforma. A obra – de arte, não de concreto – já tem destino certo: será doada para um museu.

(Com colaboração de Míriam Castro)