O musical "A Família Addams" na mira do Procon

Estadão

13 Setembro 2012 | 21h52

Fui ver no sábado passado o musical A Família Addams. Foi um programa familiar planejado com muita antecedência. Escolhi a sessão das 17 horas. Comprei quatro ingressos – duas inteiras e duas meias – com uma certa antecedência (fui até as bilheterias do Teatro Abril para evitar a roubalheira das taxas de conveniência). Chegamos bem cedo ao teatro. Nada poderia dar errado. Ou poderia? Para decepção geral, quando a cortina se abriu, Marisa Orth não estava em cena. Em geral, quando há uma substituição, o público é informado antes. Não houve qualquer tipo de comunicação, muito provavelmente para evitar uma vaia generalizada. O papel de Mortícia Addams foi interpretado por Dani Calicchio, que aparece no programa como assistente de direção e coreógrafa. Nada contra Dani Calicchio, que fez bem o seu trabalho. Mas eu paguei para ver Marisa Orth.  Era como se eu tivesse ido ver o show de Chitãozinho e Xororó e só o Xororó tivesse aparecido.

Na saída, o que eu ouvi é que a produção pode  trocar os atores sem aviso prévio. E só. Mas Marisa Orth e Daniel Boaventura não são usados como chamariz do espetáculo? É só ver a propaganda. Se a atriz estivesse doente eu até aceitaria. Não estava. Marisa fez a sessão das 21h. Como houve sessão extra também na sexta-feira, imagino que devam ter dado um descanso para a atriz. E eu com isso? A ganância da produção frustrou os espectadores.

O Blog do Curiocidade entrou em contato com a assessoria de imprensa da Time for Fun, produtora da peça. As perguntas foram enviadas por e-mail. Abaixo as respostas:

Por que Marisa Orth não fez o espetáculo das 17h do sábado passado? (Ela não estava doente, pois fez o espetáculo das 21h normalmente).
A atriz Marisa Orth participa/participou até hoje (desde a estreia do espetáculo em 07 de março de 2012) de 94% dos shows apresentados.
Meu comentário – Não foi essa a pergunta. Portanto, ficamos sem saber o que Marisa Orth estava fazendo no sábado à tarde.  Fazendo uma conta rápida, baseado nessa estatística, calculei que Marisa deva ter faltado a uns 8 espetáculos em seis meses, que dá um total – com a casa cheia – de 12 mil espectadores frustados. Não sei quantas vezes Daniel Boaventura faltou. Portanto, o prêmio de consolação foi saber que mais uma pequena multidão teve o mesmo problema.

Por que o público não foi informado antes do espetáculo que ela seria substituída, como é tradição no teatro? Medo de vaia do público?
Meu comentário – Não foi respondido.

Se Marisa Orth e Daniel Boaventura são o chamariz de público, a substituição dos dois sem aviso prévio não configura uma enganação?
“O espetáculo “A Familia Addams” tem Marisa Orth e Daniel Boaventura no elenco, porém ambos têm compromissos assumidos anteriormente ao contrato com o espetáculo e devem ser respeitados e cumpridos. Por conta disto, em nossos anúncios, em todos os canais de venda de ingressos para o espetáculo e no próprio ingresso impresso, a T4F informa aos seus consumidores que o elenco pode sofrer alteração (Classificação etária: livre. Menores de 12 anos acompanhados dos responsáveis. O elenco deste espetáculo poderá sofrer alterações sem prévio aviso.).  Além disto, as informações sobre o elenco da peça são atualizadas diariamente, nas placas da bilheteria e na entrada do Teatro.
Meu comentário – Como a maior parte dos ingressos é comprada com antecedência, a informação atualizada no próprio dia não resolve o problema do público. Se os compromissos dos atores foram assumidos antes de assinarem seus contratos, a produção sabe com muita antecedência os dias em que eles não estarão em cena. Daria para comunicar ao público também com antecedência. Não foi o caso. Um caso de má-fé?
Sobre o aviso de substituição dos atores, a Time for Fun só não diz que os nomes dos protagonistas aparece em letras garrafais no alto dos anúncios. E  a “possibilidade de substituição sem aviso prévio”  aparece em letras microscópicas no rodapé dos anúncios. Só consegui ler essa informação com o uso de uma lupa. E não é força de expressão.

Por que a produção não dá direito (ou não avisa) ao público de pegar seu dinheiro de volta ou trocar o ingresso se não concordar em ver o espetáculo com outro protagonista?
O espectador pode solicitar a troca de data do ingresso. Para isso, ele deve se dirigir a um dos recepcionistas da casa, ao perceber que o ator que ele gostaria de ver em cena não está atuando naquela sessão.”
Meu comentário – Por que essa informação é anunciada? Não seria mais honesto com o público? Nos Estados Unidos, os produtores informam, antes do início do espetáculo, os atores que serão substituídos. No caso de protagonistas, os espectadores são avisados que poderão trocar os ingressos.  Mas isso é lá, não aqui.

Quem não gostou de saber desse comportamento da produção de A Família Addams foi Marcio Marcucci, diretor de fiscalização do Procon-SP. Ele diz que, se a peça foi anunciada com uma atriz de prestígio no papel principal,  é preciso avisar o consumidor caso haja trocas.

O aviso precisa ser feito de forma antecipada, permitindo ao cliente procurar seus direitos. Os direitos são pedir o dinheiro de volta ou trocar o ingresso pelo de outra sessão – desta vez, com a artista indicada na propaganda: “É preciso colocar à disposição do cliente meios para trocar o ingresso”, avisa. “Pelo menos um número de telefone”. Marucci diz que atitudes desrespeitosas como essa da produção de A Família Addams não estão de acordo com o Procon. “A empresa tem o dever de agir com transparência, principalmente no caso da troca de um protagonista que aparece nos anúncios”, decreta.

Se o aviso não for feito a tempo e o cliente se sentir lesado, deve procurar primeiro a produtora. Caso não seja atendido, é recomendável procurar o Procon para reaver seu dinheiro.

Você já passou por situação semelhante com A Família Addams ou outro musical? Deixe a sua experiência aqui nos comentários.

(Com imagem de João Caldas/Divulgação)