FUI… conhecer Chez Burger e Frank Phillips. Não volto mais!

Estadão

23 Novembro 2011 | 09h37

Duas hamburguerias com propostas bem parecidas abriram suas portas nos Jardins. Elas se apresentam como “gourmets”, funcionam até o começo da madrugada, cobram caríssimo por seus sanduíches – e são lugares que jamais voltarei.

O Chez Burger, na Alameda Lorena, funciona a menos de 20 metros de distância da Rockets e a 200 metros da Achapa, na Mello Alves, duas hamburguerias clássicas da cidade. De fora, vendo a varanda, a hamburgueria parece ser um local bem agradável. Mas, no salão interno, a sensação é outra. Os móveis são feios e as cadeiras, baixas e desconfortáveis. Tudo parece improvisado. O balcão em que os pedidos são retirados é tão alto que os garçons precisam ficar na ponta dos pés. Chega a ser hilário.

O cardápio já vem com os sanduíches sugeridos pelo chef. É impossível, por exemplo, pedir um cheeseburguer. Ou melhor, a garçonete explicou que eu poderia pedir o sanduíche mais caro do cardápio e ela mandaria tirar tudo até ficar só o pão, a carne e o queijo – mas cobraria o preço cheio.

Não achei uma boa ideia. Escolhi o “Burger Salada” (R$ 25) e foi um desastre. O pão soft roll é grande e massudo demais (foto abaixo). Como o cardápio diz que “servimos nosso hambúrguer suculento” e eu gosto da carne rosada, pedi o meu no tal ponto da casa. A carne veio praticamente crua. O chapeiro não estava num bom dia. Não adiantou explicar que eu pedi hambúrguer, não steak tartare.


Não fiquei para a sobremesa.

Ontem, visitei a segunda casa, a Frank Phillips, na Peixoto Gomide com a mesma Lorena. A lanchonete teve preocupação com a decoração. Mas só. O cardápio é pequeno e pretensioso – e os preços chegam a ser extorsivos. Os sanduíches estão na casa dos 30 reais. Pedi um cheeseburguer para meu filho pequeno. Não havia. Quer dizer, a casa só trabalha com os hambúrgueres que estão no cardápio. Como havia outras crianças no salão, seguiu-se o seguinte diálogo com o garçom:
– O que o senhor sugere para ele?
– O senhor pode pedir um Cadillac e eu peço para tirar os ingredientes!
Detalhe: a mesma tática mesquinha e suicida do Chez Burger.
– E eu vou pagar 27 reais por um cheeseburger?
– Sim, senhor. Eu só consigo comandar desse jeito. Não dá para cobrar menos.
– Mas, se eu quiser pedir um Cadillac com queijo duplo, você consegue me cobrar a mais? – eu quis saber.
– Para mais, eu consigo! – respondeu ele.
– Ah, para mais, dá para mudar, para menos não?
– É que a casa está trabalhando com uma proposta diferenciada das outras lanchonetes – tentou explicar.
“Proposta diferenciada” é, na verdade, uma tentativa de imitar o P.J. Clarke’s. Imitação mal feita, diga-se, pois o P.J. tem menu para crianças.
O garçom ainda fez mais uma tentativa:
– O senhor pode pedir para seu filho esses mini hambúrgueres – disse ele, apontando para o prato que custava 36 reais.
Sem opção, levantamos e fomos embora. Se uma lanchonete não consegue servir um cheeseburguer por um preço honesto, não deveria nem estar aberta. Fomos para a Achapa. Comemos muito bem. E, a julgar pelos comentários que li sobre a tal Frank Phillips no foursquare, acho que fiz uma excelente troca.

Atualizado em 04 de abril de 2012: Agradeço a propaganda que a Frank Phillips tem feito deste blog. Dá para ver pela quantidade de defensores da casa nos comentários. Mas a casa manda avisar que mudou o cardápio. Pelo visto meu comentário não estava tão errado assim.