Fãs-clubes fazem boicote a show da banda de Elvis

Estadão

09 Abril 2013 | 13h32

Começaram no último sábado (6) as vendas para a turnê Elvis in Concert 2013. Em outubro, o show do rei do rock vem ao Brasil pela segunda vez, passando por São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e outras cinco capitais. A produtora 2share, responsável pela vinda do espetáculo, pretende reunir 80 mil pessoas com o mega evento. Mas um fenômeno bastante curioso vem acontecendo: segundo os fãs, até às 17 horas do dia 7 de abril, ainda não tinham sido vendidos nem 150 ingressos para o primeiro show de São Paulo, no Ginásio do Ibirapuera. O que está por trás desse relativo fracasso (no ano passado, um dos shows se esgotou em cinco dias) é a organização de um boicote armado por alguns fãs brasileiros de Elvis Presley.

O show de 2013 é o mesmo que foi apresentado aos brasileiros no ano passado. Os músicos que tocavam com o rei do rock nas décadas de 60 e 70 se juntaram para excursionar mais uma vez. Batizada de TCB, a banda é acompanhada nos vocais por ninguém menos do que o próprio Elvis Presley, personificado por meio de telões de vídeo gigantescos. Em 2012, apesar do preço alto (a cadeira VIP custava R$ 600,00), os fãs aceitaram a justificativa da agência: o evento estava sendo bancado sem patrocínio. Os fãs brasileiros de Elvis meteram as mãos no bolso e garantiram recordes de bilheteria – foram vendidos os cerca de 50 mil lugares disponíveis ao público.

A notícia da volta da banda de Elvis Presley ao País em 2013 veio junto com três bombas: 1) os preços já salgados foram inflacionados; 2) não haveria a possibilidade de se pagar meia-entrada; 3) esta seria a última oportunidade de assistir a um show da banda original do rei do rock, que estaria se aposentando. Os fãs-clubes de Elvis não deixaram barato, e foram tirar satisfação com a agência.

Segundo a lei estadual 7.844, de 13/05/92, estabelecimentos culturais devem promover a venda da meia-entrada a estudantes, sem restrições de quantidade de ingressos, local, data do evento, horário, postos e dias de venda. Depois de procurada pelos fãs, a 2share decidiu liberar as meias-entradas não só aos estudantes, mas a todos os moradores do Estado. O curioso é constatar que o preço da meia-entrada equivale a praticamente o mesmo valor da entrada inteira cobrada no ano passado. Cobrar o valor da inteira como se fosse meia entrada é prática recorrente no mercado de shows no Brasil. Mas isso é feito de modo velado – o que acaba fazendo com que as inteiras custem preços estratosféricos.

Mais: o anúncio da aposentadoria da banda também não passou de blefe dos organizadores para chamar mais público. Na verdade, é provável que 2013 seja o último ano da turnê “Elvis in Concert”, mas isso não quer dizer que a banda TCB deixará de se apresentar. Para janeiro de 2014, por exemplo, eles têm shows marcados na Europa, já com outro novo formato.

Conseguidas as meias-entradas e esclarecida a suposta aposentadoria, chamar a atenção para o preço dos ingressos é agora o objetivo direto do boicote. “No ano passado, o show já foi mais caro do que o da Madonna, que é uma popstar viva!”, relembra Marcelo Neves, presidente do fã-clube Elvis Triunfal. Este ano, a melhor cadeira no show sai por R$ 1.250, mais que o dobro do que foi cobrado em 2012. “Os fãs de Elvis que têm interesse em ver esse show são aqueles que não têm condições de viajar para o exterior para fazer isso”, esclarece Marcelo. Se não fosse pelo custo da passagem, a viagem sem dúvida valeria a pena. O ingresso mais caro para assistir ao show “Elvis in Concert” em Memphis (cidade natal do cantor), no dia 16 de agosto, justamente a data da morte do ídolo, custa US$ 300, ou cerca de 600 reais. Quem não fizer questão de tanta pompa, pode se contentar em pagar 50 euros (ou cerca de 130 reais) para assistir ao show em algum país da Europa.

Procurada pela reportagem, a 2share não respondeu aos pedidos de entrevista feitos por e-mail. Desta vez, alegam os fãs, a produtora não tem nem a desculpa da falta de patrocínio: o evento está sendo bancado pelos gigantes Ourocap e Marabraz. Os fãs não pretendem deixar de ir ao show, mas estão organizando uma caravana da “turma do fundão”. “Nós vamos lotar o segundo piso”, revela o presidente do fã-clube. É a esse setor que dão direito os ingressos mais baratos do evento, que saem por R$ 90 ou R$ 180.

[Depois da publicação da reportagem, o produtor Rafael Reisman, da 2Share, entrou em contato com o blog e deu a sua versão sobre fatos apontados pelos fãs. A resposta integral está em Preços são os mesmos ou mais baixos que em 2012″, diz produtora de Elvis in Concert”].

(com colaboração de Júlia Bezerra e imagem de divulgação)