Cristina Padiglione

05 Janeiro 2015 | 23h52

Tim-Maia-OK
A Globo alegou que a veiculação do primeiro episódio da série baseada no filme de Tim Maia, adaptação que tem gerado um sem número de controvérsias desde a sua exibição, na semana passada, foi obra de ação promocional para instigar o público a assistir o programa em seu segundo e último episódio.
A edição foi retirada do ar.
Acontece que ações promocionais que motivam a exibição de episódios em sua íntegra, como ocorreu no caso, permanecem por mais de um dia disponível para todos os mortais. Na sequência, a edição vira material acessado apenas por assinantes.
Mas não é o que se observa no caso de “Tim Maia”. Assinantes também não conseguem acessar nada.

Há casos em que a Globo.com não dispõe de direitos de exibição na web e, então, nada pode ser oferecido ao internauta, nem em caráter promocional. Isso é mais comum do que se imagina em eventos esportivos, onde direitos de transmissão são negociados separadamente, entre TV aberta, web e TV paga. No caso de uma série exibida durante o Esporte Espetacular, no ano passado, em tributo aos 20 anos da morte de Ayrton Senna, por exemplo, era impossível ver pela internet o material produzido para a TV Globo. Imagens das corridas da época não estavam no pacote da web aqui.

No caso da série, a Globo poderia alegar proteção de conteúdo ao filme, que ainda não saiu em DVD nem na plataforma de vídeo sob demanda, onde se paga pra ver. Mas, diante disso, como explicar que uma parte do programa tenha sido disponibilizado na internet, mesmo que por um único dia?
É um caso sem precedentes no que diz respeito a conteúdo exibido pela TV e oferecido na web.

O ponto nevrálgico entre a versão do filme e a versão da série diz respeito à posição de Roberto Carlos na biografia de Tim Maia.
No filme, RC aparece como alguém que humilha o biografado.
Na série, RC dá seu depoimento de que fez o que podia por Tim, e um testemunho disso, com o ator Babu Santana caracterizado como tal, foi especialmente gravado para a ocasião, afirmando, como se fosse frase de Tim Maia, que foi RC quem o revelou para a fama. O relato não é de todo inverídico, já que foi Roberto quem primeiro deu fama a uma canção de Tim, mas jamais estaria na boca do cantor, como a série da Globo reproduziu, em cena que não consta do filme.

Mais conteúdo sobre: