Tom Cruise comanda uma divertida festa do hard rock

Estadão

15 Outubro 2012 | 12h00

Marcelo Moreira

Trilhas sonoras com atores cantando costumam ser um show de horrores na maioria dos casos. De vez um quando um Patrick Swayze se salvava da mediocridade – sua “She’s Like the Wind”, do filme “Dirty Dancing”, de 1987, é uma baba brega, mas ele não fez feio nos vocais.

“Rock of Ages”, a fita estrelada por Tom Cruise, Catherine Zeta-Jones e Alec Baldwin sobre o “decadente” mundo do hard rock de 1988, é irregular como maioria das trilhas sonoras, mas surpreende por dois motivos: é bastante divertida, mesmo com as baladas mais absurdas de ruins, e pelo empenho dos atores: eles realmente curtiram cantar. Ninguém deu vexame e quem gravou entrou no espírito da coisa.

Tom Cruise no fime 'Rock of Ages'

Diego Boneta é um exemplo. O astro mexicano da banda/seriado adolescente Rebeldes não mediu esforços e emprestou a voz em 9 das 20 músicas e particularmente foi muito bem em “I Wanna Rock”, clássico do Twisted Sister.

Mas o destaque é Tom Cruise. Superastro milionário e poderoso em Hollywood, não teve receio de se queimar: cantou muito bem em “Paradise City” (Guns N’Roses) e “Wanted Dead or Alive” (Bon Jovi) e “Pour Some Sugar on Me” (Def Leppard), caprichando nos agudos. Mais do que uma curiosidade, a trilha se é um grande acerto pelo engajamento dos atores, que deram nova vida a hinos do hard rock.