Liane La Havas rumo ao estrelato

Estadão

13 Outubro 2012 | 12h00

 Emanuel Bomfim

Há um ano, sozinha no palco e guitarra em mãos, Liane La Havas levou ao Jools Holland uma canção dolorosa de amor. Versos que lamentavam a partida do namorado mais velho, segunda ela, com a idade para ser seu pai. Age, porém, a fez sorrir. Naquele mesmo dia, recebeu um convite de Bon Iver – que também era uma das atrações no programa – para acompanhá-lo em breve turnê pela América do Norte. Meses depois, entrou no hall de apostas da BBC para 2012.

Sorte de principiante? Longe disso. Liane é um destes exemplos típicos de quem foi treinada desde cedo para brilhar. A começar pelos pais músicos, com quem aprendeu a tocar piano e violão, além de extrair referências para sua sonoridade, em especial do R&B e do jazz.

A passagem por uma destas escolas de arte britânica também foi importante em sua formação, ao ampliar a gama de parceiros e conquistar um precoce contrato com a gravadora Warner. Consistente, o recém-lançado Is Your Love Big Enough? ainda se beneficiou de um período de entressafra do soul pop atual, com Adele à espera do primeiro filho e Janelle Monáe sem novidades.

 É bem verdade que a cantora londrina lembra mais Corinne Bailey Rae, mas é versátil suficiente para posar ao lado de Jill Scott, Erykah Badu e até do companheiro de geração Michael Kiwanuka – pelo acabamento folk dos temas.

Os dois, aliás, brigam pelo título de álbum do ano no Mercury Prize. No plano estético, ela é melhor. Sabe ser econômica mesmo com a fartura de recursos à disposição. Lianne La Havas, ao que tudo indica, veio mesmo para ficar.

Mais conteúdo sobre:

Liane La Havas