Kiko Loureiro: de guitar hero a mestre brasileiro da música instrumental

Estadão

04 Outubro 2012 | 07h00

Marcelo Moreira

Os brasileiros do Angra estavam em plena turnê europeia entre 1998 e 1999, a última com o vocalista André Matos. Em pleno palco da casa Zénith, em 16 de janeiro de 1999, o grupo recebe como convidado Bruce Dickinson, a voz do Iron Maiden – e que teria confirmado o seu retorno ao gigante do metal britânico pouco tempo depois.

Durante a execução de “Run to the Hill”, clássico maior do Iron, Andre e Bruce deram um show, mas os vídeos da música mostram claramente a cara de espanto com a execução primorosa de guitarras por parte de Kiko Loureiro e Rafael Bittencourt. Mas foi Kiko que deixou a voz do Iron Maiden completamente extasiado, e foi alvo de muitos elogios após o show, segundo pessoas que estiveram sando suporte ao Angra naquela turnê.

“Sounds of Innocence”, o recém-lançado álbum de Kiko, é o melhor retrato daquilo que tanto deixou estupefato o vocalista do Iron Maiden 13 anos atrás. Técnica perfeita, virtuosismo em larga escala e muito bom gosto na escolha do repertório. Se o G3 com Joe Satriani, Steve Morse e John Petrucci vai fazer a alegria dos roqueiros neste mês em São Paulo, o novo disco do guitarrista do Angra é o melhor aquecimento.

Apesar de sua banda estar em recesso desde o final do ano passado, e agora mais ainda com saída do vocalista Edu Falaschi, em maio passado, Kiko Loureiro está confiante no futuro da marca Angra. Mais do que isso, está satisfeito com o lançamento da excelente coletânea do grupo na Alemanha e no Japão, mas que em breve deve ser estendida por outros países.

“Estamos felizes com o trabalho desenvolvido pela SPV/Steamhammer, é um trabalho primoroso, mas são dois produtos diferentes”, esclarece o guitarrista. “No Japão fizeram uma escolha com os fãs pela internet e um DVD com os clips. Na Alemanha foi escolhido pela banda com opinião da gravadora, afinal o gosto alemão é uma pouco mais ‘preto e branco’, isto é, baladas e porradas.”

Os planos com a banda não param. Em 2013 o álbum “Angels Cry”, o primeiro da carreira do grupo, completa 20 anos de lançamento. Kiko e Rafael Bittencourt, os líderes, já discutem um possível relançamento em edição de luxo, provavelmente com faixas bônus. “É uma data importante. Gostaríamos inclusive de convidar o André Matos para alguns shows, seria ótimo, embora eu considere isso um pouco difícil.”

De concreto, o músico está divulgando “Sounds of Innocence” pelo Brasil e pelo Japão na forma de clínicas e workshops. A ideia é agendar uma turnê de divulgação pelo Brasil a partir de março de 2013. Quem o viu em ação na última Expomusic, em São Paulo, no mês passado, afirma que ele está cada vez melhor.

O novo álbum é um resumo excelente das influências do guitarrista: muito rock pesado e rápido, jazz e várias pitadas de blues e de instrumental brasileiro. Vai além do álbum anterior, “No Gravity”: as composições são intrincadas, mas de muito bom gosto e nem um pouco entediantes.

Há uma dinâmica diferente – fruto da parceria extraordinária com o baixista Felipe Andreoli, do Angra, e com o baterista Virgil Donati, um dos gênios do instrumento na atualidade. Os fraseados estão mais curtos e intensos, e os solos são de altíssima qualidade.

Os amantes do metal progressivo vão se deliciar com “Conflicted”, provavelmente a melhor do álbum, com o seu toque de Dream Theater, mas também com influências de Steve Vai e Joe Satriani.

O toque nacional e latino fica por conta das divertidas “El Guajiro” e “Mãe D’água”, mas preste também a atenção nas belas melodias e arranjos de “The Hymn” e “Twisted Horizon”.

O rótulo de “guitar hero” cai muito bem em Kiko Loureiro, mas o termo é bastante limitador peloa carga de vários significados que contém. O músico é hoje um dos grandes instrumentistas da música brasileira e do rock internacional.

Um grande greatest hits

A coletânea “Best Reached Horizons” sairá em versões diferentes – CD duplo na Europa, pela SPV/Steamhammer, com duas músicas a mais, e CD simples mais DVD com um show no Japão, pela JVC. Veja abaixo a descrição dos produtos.

As duas eras do grupo estão representadas. A versão europeia tem um CD dedicado a cada fase de cada vocalista. O CD japonês mantém uma ordem cronológica, abrindo com as músicas do tempo de Andre Matos.

A escolha do repertório foi muito feliz. As músicas mais representativas estão lá, como os hits “Carry On”, “Nothing to Say” e “Lisbon”, marcas registradas da primeira fase, assim como “Nova Era”, “Rebirth” e “Arising Thunder”, da segunda encarnação. Lamentavelmente, o álbum já vazou na internet.

Seja como for, é um produto de extrema qualidade e interessante, mesmo em um momento de indefinições da banda. É  um painel perfeito para quem deseja conhecer o Angra ou relembrar os seus melhores momentos. 

 Faixas (versão europeia)

CD 1

  1. “Carry On” (Matos) (álbum: Angels Cry, 1993)
  2. “Angels Cry” (Matos, Bittencourt) (álbum: Angels Cry, 1993)
  3. “Wuthering Heights” (Kate Bush) (álbum: Angels Cry, 1993)
  4. “Evil Warning” (Matos, Bittencourt) (álbum: Angels Cry, 1993)
  5. “Nothing to Say” (Matos, Loureiro, Confessori) (álbum: Holy Land, 1996)
  6. “Holy Land” (Matos) (álbum: Holy Land, 1996)
  7. “Carolina IV” (ao vivo) (Bittencourt, Loureiro, Matos, Mariutti, Confessori) (álbum: Holy Live, 1997)
  8. “Freedom Call” (Matos, Loureiro) (álbum: Freedom Call, 1997)
  9. “Lisbon” (Matos) (álbum: Fireworks, 1998)
  10. “Metal Icarus” (Bittencourt, Loureiro, Confessori) (álbum: Fireworks, 1998)

CD 2

  1. “Nova Era” (Falaschi, Loureiro, Bittencourt, Andreoli) (álbum: Rebirth, 2001)
  2. “Rebirth” (Bittencourt, Loureiro) (álbum: Rebirth, 2001)
  3. “Hunters and Prey” (Loureiro, Bittencourt, Falaschi, Priester) (álbum: Hunters and Prey, 2002)
  4. “Spread Your Fire” (Falaschi, Loureiro, Bittencourt) (álbum: Temple of Shadows, 2004)
  5. “Waiting Silence” (Bittencourt, Loureiro) (álbum: Temple of Shadows, 2004)
  6. “The Course of Nature” (Falaschi, Loureiro) (álbum: Aurora Consurgens, 2006)
  7. “Salvation: Suicide” (Loureiro, Bittencourt) (álbum: Aurora Consurgens, 2006)
  8. “Arising Thunder” (Falaschi, Loureiro) (álbum: Aqua, 2010)
  9. “Lease of Life” (Falaschi) (álbum: Aqua, 2010)
  10. “Kashmir” (cover de Led Zeppelin) (Jimmy Page, Robert Plant, John Bonham) (música não lançada em nenhum álbum do Angra anteriormente)

Faixas (versão japonesa)

CD

  1. “Unfinished Allegro” (Matos) (álbum: Angels Cry, 1993)
  2. “Carry On” (Matos) (álbum: Angels Cry, 1993)
  3. “Angels Cry” (Matos, Bittencourt) (álbum: Angels Cry, 1993)
  4. “Nothing to Say” (Matos, Loureiro, Confessori) (álbum: Holy Land, 1996)
  5. “Z.I.T.O.” (Loureiro, Bittencourt, Matos) (álbum: Holy Land, 1996)
  6. “Wings of Reality” (Matos) (álbum: Fireworks, 1998)
  7. “Lisbon” (Matos) (álbum: Fireworks, 1998)
  8. “In Excelsis” (Loureiro) (álbum: Rebirth, 2001)
  9. “Nova Era” (Falaschi, Loureiro, Bittencourt, Andreoli) (álbum: Rebirth, 2001)
  10. “Bleeding Heart” (Falaschi) (álbum: Hunters and Prey, 2002)
  11. “Live and Learn” (Bittencourt, Loureiro) (álbum: Hunters and Prey, 2002)
  12. “Deus Le Volt!” (Loureiro) (álbum: Temple of Shadows, 2004)
  13. “Spread Your Fire” (Falaschi, Loureiro, Bittencourt) (álbum: Temple of Shadows, 2004)
  14. “Angels and Demons” (Falaschi, Loureiro, Bittencourt) (álbum: Temple of Shadows, 2004)
  15. “The Voice Commanding You” (Bittencourt) (álbum: Aurora Consurgens, 2006)
  16. “Scream Your Heart Out” (Loureiro) (álbum: Aurora Consurgens, 2006)
  17. “Arising Thunder” (Falaschi, Loureiro) (álbum: Aqua, 2010)
  18. “Lease of Life” (Falaschi) (álbum: Aqua, 2010)

DVD

Clipes

  • “Carry On” (1993)
  • “Time” (1993)
  • “Make Believe” (1996)
  • “Rebirth” (2001)
  • “Pra Frente Brasil” (2002)
  • “Wishing Well” (2004)
  • “The Course of Nature” (2006)
  • “Lease of Life” (2010)

Show DVD Rebirth World Tour: Live In São Paulo

  • “In Excelsis”
  • “Nova Era”
  • “Acid Rain”
  • “Angels Cry”
  • “Heroes of Sand”
  • “Metal Icarus”
  • “Millennium Sun”
  • “Make Believe”
  • “Drums Solo”
  • “Unholy Wars”
  • “Rebirth”
  • “Time”
  • “Running Alone”
  • “Crossing”
  • “Nothing to Say”
  • “Unfinished Allegro”
  • “Carry On”
  • “The Number of the Beast”