Centenário do Pai Benedito, o tema 2013 da Banda do Candinho

Estadão

18 Outubro 2012 | 15h12

Nascido em Santa Cruz das Posses, então comarca de Ribeirão Preto, hoje distrito do município de Sertãozinho, no interior do Estado de São Paulo, em 22 de outubro de 1912, o aposentado no serviço público municipal de São Paulo, após longos 30 anos, Benedicto de Souza está completando o centenário de vida.

Filho de Candido José de Souza, administrador de fazenda e construtor de casas, igrejas e estradas no final do século 19 e início do século 20, em vários municípios, como Catanduva, onde ajudou na construção da Igreja de São Domingos, santo padroeiro da cidade, também no interior paulista, e da dona de casa Sebastiana Maria da Conceição.

Benedito, viúvo de Augusta Rodrigues de Souza (que tem praça pública em seu nome no bairro de Arthur Alvim, na zona leste de São Paulo), migrou com a mulher e os quatro primeiros filhos para a capital paulista no ano de 1948, fixando residência no bairro do Jabaquara, nas proximidades da Igreja São Judas Tadeu, zona sul da cidade.

O centenário Benedito, que quando jovem se tornou autodidata e ajudou na alfabetização de pessoas onde nasceu e de seus vários irmãos, sendo também muito interessado em matérias jornalísticas e política partidária, é pai de quatorze filhos concebidos com sua então mulher Augusta falecida em São Paulo no ano de 1994.

Quatro destes filhos são naturais da cidade de Queirós comarca do município de Pompeia no interior Paulista, sendo os demais dez filhos entre homens e mulheres nascidos na Capital do Estado de São Paulo, a maioria formados profissionalmente nas áreas de Direito, Ciências Contábeis, Jornalismo, maestro arranjador, publicitários, ator, atriz, poeta, escritor e também profissionais do serviço público estadual e municipal em São Paulo.

Seu maior orgulho, segundo o próprio Benedito de Souza, é o fato de haver passado a seus filhos que a educação era a grande herança que deixaria a sua prole. Também o fato de haver trabalhado como coletor de lixo (hoje chamado de gari) em bairros da zona sul nas décadas de 50 e 60 do século passado ao tempo dos carroções puxados a burros e a cavalos muito o enaltece como trabalhador honesto e honrado na busca de dotar sua família de elevada autoestima em busca do sentido espiritual da estada do ser humano aqui no planeta Terra.

Benedito lembra também com felicidade o fato de ter sido talvez o primeiro coletor de lixos na cidade de São Paulo a fazer parte da primeira frota de caminhões Chevrolet comprados pela Prefeitura para substituir a tração animal no início dos anos 1960.

Para comemorar o centenário de vida de Benedito de Souza, a família prepara várias homenagens entre os filhos, netos, bisnetos, tataranetos, parentes, amigos e vizinhos na Vila Matilde, zona leste de São Paulo, onde passaram a morar a partir do mês de fevereiro de 1959.

No desfile do carnaval 2013, no dia 6 de fevereiro, com concentração às 18 horas na Rua Santo Antonio com a Rua 13 de Maio e saída às 21 horas, a Banda do Candinho e o Circo das Mulatas desfilará pelas ruas do bairro do Bixiga e centrais de São Paulo, com o tema  “O centenário do Pai Benedito”, em homenagem a história e exemplo de vida do cidadão, pai de família, avô, bisavô, tataravô e principalmente amigo das pessoas, chamado Benedicto de Souza.