Membros do Pink Floyd se reúnem contra prisão de ativistas
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Membros do Pink Floyd se reúnem contra prisão de ativistas

Banda, entretanto, não deve produzir novas músicas ou fazer shows

Alexandre Ferraz Bazzan

06 Outubro 2016 | 15h23

Uma das maiores bandas do mundo voltou a se reunir. A velha rixa entre Waters e Gilmour foi deixada de lado por uma boa razão, o baixista sempre foi um forte defensor dos direitos dos palestinos e agora o grupo inteiro parece ter se unido em torno da proposta depois que Israel prendeu um barco com ativistas que saíram de Barcelona em direção à Faixa de Gaza. A tripulação era composta por 13 mulheres, incluindo a prêmio Nobel da Paz Mairead Maguire. O objetivo era denunciar prisões ilegais na região e, aparentemente, deu certo.

Ensaio para o Live 8 divulgado no Facebook do Pink Floyd

Ensaio para o Live 8 divulgado no Facebook do Pink Floyd

A última vez que o Pink Floyd tocou com Roger Waters foi em 2005, no Live 8. A intenção do enorme festival, em vários países, também era política. Além de comemorar o aniversário de 20 anos do Live Aid, os músicos queriam pressionar o G8, nações mais ricas do mundo, para perdoar a dívida externa dos mais pobres. Não funcionou, mas foi um grande encontro.

O último disco da banda é de 2014, The Endless River, mais uma vez sem a colaboração de Waters(e Richard Wright, tecladista e fundador, que morreu em 2008). Na época se noticiou sobre o fim definitivo da banda e Gilmour dizia que eles haviam chegado ao fim da linha.