Babel: Os 10 livros e os 10 autores brasileiros mais vendidos no primeiro semestre de 2016
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Babel: Os 10 livros e os 10 autores brasileiros mais vendidos no primeiro semestre de 2016

E mais na coluna de 13/8: Morro Branco chega, sem medo, ao mercado, Ziraldo e as meninas, Valter Hugo Mãe, um projeto que quer colocar o leitor dentro da história, Bienal do Livro, etc

Maria Fernanda Rodrigues

13 Agosto 2016 | 05h30

MERCADO – 1
Os livros mais vendidos no País no primeiro semestre

padre marcelo rossi

(Foto: Marcio Fernande/Estadão)

Em Ruah, padre Marcelo Rossi fala sobre a época em que chegou a pesar 128 quilos e sobre como a reeducação alimentar o ajudou a voltar aos eixos. Essa é a obra mais vendida no Brasil neste primeiro semestre. Philia, também do sacerdote best-seller, o segundo mais vendido em 2015, fechou o período em 4.º lugar. As informações são da Nielsen, que mostra, também, que foram seis meses difíceis para o mercado editorial, que perdeu 15% de seu faturamento. Jojo Moyes ficou em 2.º, com Como Eu Era Antes de Você, e em 3.º, com Depois de Você. Em 5.º, Authenticgames: Vivendo Uma Vida Autêntica (de Authenticgames), seguido por O Pequeno Príncipe (bolso; de Saint-Exupéry), Grey – Cinquenta Tons De Cinza Pelos Olhos De Christian (de E. L. James), Dois Mundos, Um Herói – Uma Aventura Não Oficial de Minecraft (de Rezendeevil), Muito Mais Que Cinco Minutos (Kéfera) e Segredos da Bel Para Meninas (vol. 1; de Bel e Fran).

Os 10 autores brasileiros mais vendidos no primeiro semestre de 2016
1.º Padre Marcelo Rossi
2.º Augusto Cury
3.º Maurício de Sousa
4.º Zibia Gasparetto
5.º RezendeEvil
6.º Authenticgames (Marco Túlio)
7.º Paula Pimenta
8.º Isabela Freitas
9º Ruth Rocha
10º Kéfera Buchmann
(a lista considera a soma dos títulos de cada autor, caso ele apareça com mais de um)


** Veja aqui os resultados de 2015

MERCADO – 2
Todos os cantos
A atual conjuntura não assusta Victor F. Gomes, que, aos 28 anos, abandonou a advocacia e está abrindo uma editora. A ideia é aproveitar o momento de crise para se estruturar e estar pronto para quando as coisas melhorarem. A fantasia A Biblioteca Invisível, de Genevieve Cogman, foi descoberta pelo publisher em Londres e escolhida para estrear o catálogo da Morro Branco, que será apresentado na Bienal.
*
Ele quer editar bons livros de autores de países diversos que passaram batido por outras casas, como A Ilusão do Tempo, do ambientalista Andri Snaer Magnason, que acaba de concorrer à presidência da Islândia.

REEDIÇÃO
Formato moleskine
Chegam às livrarias no dia 24, agora pela Biblioteca Azul, dois títulos de Valter Hugo Mãe: A Máquina de Fazer Espanhóis e O Filho de Mil Homens. O primeiro terá prefácio de Caetano Veloso e o segundo, prólogo de Alberto Manguel. Para o fim do ano, a promessa é de novo romance.

THRILLER
Na Dinamarca
Em A Santa Aliança, thriller de Anders Rønnow Klarlund e Jacob Weinreich sob o pseudônimo de A. J. Kazinski, Eva decide tentar desvendar um crime desenhado por um de seus alunos. E assim começa o livro, que sai em setembro pela Tordesilhas.

INFANTIL – 1
A cidade e as crianças

babel

No vaivém frenético da cidade, uma garotinha e sua bicicleta propõem uma pausa no ritmo. Essa é a história contada pelo editor Fabrício Valério em A Menina Que Parou o Trânsito, com ilustrações (acima) de Bruna Assis Brasil, que está em gráfica.

INFANTIL – 2
Mais meninas
Ziraldo também escreve sobre meninas – esses “seres encantados” que, para ele, só existem dos 7 aos 11, inventam amigos imaginários, transformam suas lágrimas em rios de esperança, perseguem coelhos brancos. A obra Meninas, inspirada em Alice, será lançada na Bienal pela Melhoramentos.

INFANTIL – 3
Leitor personagem
Dentro da História é o projeto que transforma o leitor em personagem. No site, ele cria seu avatar, que será, então, inserido no enredo – no livro de estreia, estará ao lado da Turma da Mônica – e depois recebe o livro em casa. Lançamento na Bienal.