Eu filosofo, tu filosofas…

Eu filosofo, tu filosofas…

João Wady Cury

17 Agosto 2017 | 13h18

A atriz Soraya Ravenle em cena na peça Instabilidade Perpétua. Foto: Rafael Aguiar.

 

Ela está ali, sozinha, no centro do palco, e os temas nos quais toca estão ligados à existência humana, o significado de nascer e viver hoje. Conflito puro, felizmente, como bem gosta o teatro de abordar. A moça em questão é Soraya Ravenle, atriz que chega a São Paulo do Rio com o solo Instabilidade Perpétua.

A peça tem textos, dança e música e foi inspirada em obras do poeta e filósofo Juliano Garcia Pessanha. Tanta densidade talvez justifique uma coleção de diretoras: Daniela Visco, Georgette Fadel, Julia Bernat e Stella Rabello. Estreia prevista para o dia 9 de setembro, sessões de sexta-feira a domingo, no Sesc Ipiranga (Rua Bom Pastor, 822, tel. 3340-2000).