Chafurdando na prateleira digital

Chafurdando na prateleira digital

João Wady Cury

03 Agosto 2017 | 15h02

Gisele Caterina Luzio, fotografada por Gabriela Bilo/Estadão

 

São Paulo tem duas boas bibliotecas de peças de teatro: da Escola de Comunicações e Artes (ECA), da USP, e a do Museu Lasar Segall. Mas nenhuma livraria dedicada inteiramente ao mundo das artes cênicas. Errado. Tem, e atende pelo nome de Livraria do Teatro. Não existe fisicamente, mas suas prateleiras habitam o mundo digital: livrariadoteatro.com.br.

Foi criada pela ex-cenógrafa Gisele Caterina Luzio, há mais de dois anos, quando abandonou a carreira por um problema na coluna. São mais de 2 mil títulos de livros e quase 200 filmes. O teatro pode ter perdido uma grande cenógrafa, mas, por outro lado, ganhou uma livraria inédita, dedicada exclusivamente às artes cênicas. Pra comemorar.