Sinfônica de Heliópolis interpreta Rachmaninov e Strauss neste domingo

Sinfônica de Heliópolis interpreta Rachmaninov e Strauss neste domingo

Alvaro Siviero

28 Setembro 2017 | 09h55

A Orquestra Sinfônica de Heliópolis, sob regência de Isaac Karabtchevsky, e contando com a participação do pianista Jean-Louis Steuerman, interpretarão dois ícones da literatura musical: o Concerto n.2 para piano e orquestra em dó menor, Op.18 do russo Rachmaninov e a a suite O Cavaleiro da Rosa, Op.59 do compositor alemão Richard Strauss, contemporâneo de Rachmaninov. O concerto, que acontece no Theatro Municipal de São Paulo, no próximo dia 01 de outubro, 12h, com duração de 1h, é uma perfeita opção para aliar lazer e cultura, a preço extremamente popular (o ingresso custa R$10,00; estudantes e acima de 60 anos pagam R$5,00) e afastar, assim, aquela sensação tão comum de domingos vazios, superficiais, onde o tédio é o inequívoco resultado final.

O segundo concerto para piano e orquestra do compositor russo Sergei Rachmaninov constitui o triunfo da força da vontade sobre as dificuldades. O fracasso da estréia de sua primeira Sinfonia, em 1897, fez com que o autor caísse em uma tremenda crise nervosa, que o paralisou durante uns quantos anos. Pouco a pouco, e graças aos conselhos e à tera pia de seu médico e amigo Nikolai Dahl – a quem dedicou a obra – Rachmaninov foi recuperando a autoestima, com a consciência de que tinha que compor algo muito especial, um concerto para piano e orquestra com a qual se recuperasse definitivamente de sua enfermidade. A obra é de uma beleza arrebatadora. Desde os primeiros compassos de seu primeiro movimento – em que o solista começa a desgranar uns acordes que vão subindo de intensidade, criando uma atmosfera única – até o enérgico final do terceiro movimento, não existe uma única queda de tensão: tudo nele é poderoso e perfeito, enérgico e sublime. A obra foi utilizada posteriormente por David Lean como trilha sonora de seu grande filme Desencanto (Brief Encounter, 1945)